Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

M(ã)emórias da Maria Mocha

Blogue pessoal que aborda o universo feminino, maternidade, adolescência, resiliência, luta e superação do cancro, partilha de vivências, vida familiar e profissional... e alguma reflexão com humor à mistura.

M(ã)emórias da Maria Mocha

Blogue pessoal que aborda o universo feminino, maternidade, adolescência, resiliência, luta e superação do cancro, partilha de vivências, vida familiar e profissional... e alguma reflexão com humor à mistura.

Do minete como a arte de exorcizar demónios.

Já devem ter percebido que não tenho tido tanta disponibilidade para cirandar por aqui. Valores mais altos se levantaram nestes últimos dias. Organizar questões do trabalho, a casa e a vida, basicamente. Tenho, no entanto, dado uma vista de olhos pelo que se tem passado. Não tenho tido é disponibilidade para interagir através de comentários, a não ser respostas breves aos vossos comentários às minhas publicações (elas próprias agendadas, by the way). 

 

E tenho aqui um problema à conta disso. "O" assunto. Hoje é segunda-feira, por norma o dia mais triste da semana cuja neura daí advinda eu tento contrariar dando-vos ideias para que não acabem o dia sem alguma brincadeira. Já que a segunda é dia de andarmos desacorçoados, pelo menos que seja dia de sexo. É essa a ideia. Ainda crio um movimento à conta disto. 

 

Não podia, pois, ficar sem trazer aqui qualquer coisita. Falemos hoje de felácio, cunnilingus, minete, como quiserem. Hoje venho aqui afirmar que esta é a técnica infalível para exorcizar demónios. Façam e é vê-los a sair do corpo dela... É claro que mulher exorcizada costuma ficar bastante satisfeita e é, por isso, bastante grata e terão certamente retribuição do vosso ato caridoso. Aliás, estas coisas têm mais piada havendo reciprocidade.

 

Deixo-vos esta pérola que encontrei numa das páginas de facebook com humor inteligente que eu sigo. Mas esta não é para rir. É um assunto bastante sério. Acreditem, homens (e mulheres, mas essas sabem...). Se não parecer que um demónio está a ser exorcizado do corpo dela, não estão a fazer bem. 

 

15941175_1270994426281704_2027950714910757443_n.jp

(Fonte: https://www.facebook.com/innocenselost/)

 

E, como eu não seria capaz de escrever com mestria sobre este assunto, deixo-vos com (para mim) o melhor texto alguma vez escrito, que eu tenha lido, sobre felácio, salvo outra opinião. Trata-se da crónica "A SACROSSANTA DOUTRINA DO MINETE", por PATRICIA MOTTA VEIGA, publicado aqui. Quem ainda não leu, leia, que vale mesmo a pena. Ela consegue desnudar completamente a mulher. Deixo-vos um excerto, para abrir o apetite (duplamente: para lerem o texto na íntegra e para o porem em prática ). 

 

"(...) Nós gostamos que nos olhem para a “abençoada”, é meio caminho andado para que a mostremos bem. Gostamos que a explorem. Sentir a língua a passear corpo a baixo, ou a cima, parando onde sente a pele eriçar-se, recolhendo-se, para deixar que a boca chupe e sorva até aos centímetros seguintes. Gostamos de a sentir afastar os lábios. Primeiro os grandes, depois os pequenos, tal como nos cá de cima, e que curiosa e frenética lhes faça pequenas cócegas que nos preparam, que nos entesam para lá do que a bíblia aceitaria. Gostamos que ela nos açoitem o clitóris até que ele cresça o suficiente para ser sugado, mordido, tragado e mesmo ali, antes do orgasmo, abandonado para que a pequena vilã nos penetre hirta a preparar caminho. Nos adentre onde bem lhe e nos apetecer, reconhecendo todos os nossos buracos e deixando os anfitriões felizes. Isto feito, nós não nos vimos… Vamo-nos! Para o paraíso e acompanhadas por quem para lá nos enviou.
É claro que isto não é para meninos. É coisa de homem! Ou de mulher! Dos crescidos. Com tesão e apaixonados. De um adulto que goste realmente de uma mulher. Do cheiro da mulher, do sabor da mulher. Quem quer uma coisa inodora e insípida pode sempre treinar naquelas de borracha que até podem ser desinfectadas com lixivia.(...)"

 

Digam lá se isto não abre o apetite!? Tchiii...

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

DIREITOS DE AUTOR (Decreto-Lei n.º 63/85 com as posteriores alterações)

Maria Mocha é o pseudónimo de uma mulher que, de vez em quando, gosta de deixar os pensamentos fluir pela escrita, uma escrita despretensiosa, mas plena dos sentimentos e emoções com que enfrenta a vida. Assim, as criações intelectuais da Maria Mocha publicadas (textos, fotos) têm direitos de autor que a mesma quer ver respeitados e protegidos. Eventuais créditos de textos ou fotos de outros autores serão mencionados. Aos leitores da Maria Mocha um apelo: leiam, reflitam sobre o que leram, comentem, mas não utilizem indevidamente conteúdos deste blog sem autorização prévia da autora. Obrigada.

Calendário

Janeiro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens