Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

M(ã)emórias da Maria Mocha

Blogue pessoal que aborda o universo feminino, maternidade, adolescência, resiliência, luta e superação do cancro, partilha de vivências, vida familiar e profissional... e alguma reflexão com humor à mistura.

M(ã)emórias da Maria Mocha

Blogue pessoal que aborda o universo feminino, maternidade, adolescência, resiliência, luta e superação do cancro, partilha de vivências, vida familiar e profissional... e alguma reflexão com humor à mistura.

Quando ir ao dentista faz mal à carteira mas bem à vista ...

10.15-Dental-Tools-Aren’t-Scary.jpg

 (Imagem da net)

 

Recentemente levei os meus filhos ao dentista. Consultas de rotina. A dele foi com uso do cheque-dentista a que teve direito. Afinal, temos que aproveitar as condições oferecidas pelo Serviço Nacional de Saúde.

 

Lindo de morrer, o sô doutor. Um Adónis moreno, alto e simpático, na casa dos quarenta anos. Ainda por cima, as mães podem entrar para o consultório e babar-se a olhar para ele assistir à consulta. Mas isso não tem nada a ver com a minha escolha deste dentista. Ele é mesmo um dentista bom bom dentista. Ai, vocês percebem! Uma mãe de família é séria mas não é cega e gosta de descansar a vista, pronto. 

 

Falemos da dentição das crias. Quanto a isso, tudo bem. Dentinhos sãos. Nem uma cárie. Tiveram uma mãezinha sempre muito diligente nas questões da saúde oral, na sensibilização para uma alimentação cuidada e para a lavagem dos dentinhos, principalmente na fase em que eles eram avessos à água, hostis a esfregar-se e a escovar-se, que até parecia que tinham medo de gastar os dentes, a pele, o corpo. 

 

Quanto à parte pior, a fatura:

Filho: cheque-dentista. Consulta grátis, portanto.

Filha: radiografia e limpeza dentária: 110 €.

 

Está a pessoa deliciada, à volta de meia horita, a contemplar aquele monumento da arquitetura humana e depois, não bastasse ter de sair do transe, ainda lhe espetam um balde de água fria pela cabeça abaixo. O que é que me ocorreu, quando consegui sair do choque inicial? Basicamente senti que a conta da consulta contemplou as vistas a que a mãe teve direito, sobre a versão melhorada do Dr. Miguel Stanley. Vá lá não ter tido o ímpeto de partilhar isto com a senhora que estava a receber o pagamento. Às vezes sai-me... E sim, existe uma versão muito melhorada do Miguel Stanley e essa versão é nem mais nem menos que o dentista dos meus filhos! Roam-se de inveja, gajas!

 

Bem, o que é certo é que saí de lá mais leve da carteira, mas regaladinha das vistas! 

 

 

36 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

DIREITOS DE AUTOR (Decreto-Lei n.º 63/85 com as posteriores alterações)

Maria Mocha é o pseudónimo de uma mulher que, de vez em quando, gosta de deixar os pensamentos fluir pela escrita, uma escrita despretensiosa, mas plena dos sentimentos e emoções com que enfrenta a vida. Assim, as criações intelectuais da Maria Mocha publicadas (textos, fotos) têm direitos de autor que a mesma quer ver respeitados e protegidos. Eventuais créditos de textos ou fotos de outros autores serão mencionados. Aos leitores da Maria Mocha um apelo: leiam, reflitam sobre o que leram, comentem, mas não utilizem indevidamente conteúdos deste blog sem autorização prévia da autora. Obrigada.

Calendário

Novembro 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens