Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

M(ã)emórias da Maria Mocha

Blogue pessoal que aborda o universo feminino, maternidade, adolescência, resiliência, luta e superação do cancro, partilha de vivências, vida familiar e profissional... e alguma reflexão com humor à mistura.

M(ã)emórias da Maria Mocha

Blogue pessoal que aborda o universo feminino, maternidade, adolescência, resiliência, luta e superação do cancro, partilha de vivências, vida familiar e profissional... e alguma reflexão com humor à mistura.

Da mente e dos sonhos...

o grito.jpeg

 (Dispensa apresentações, mas vá: "O Grito", de Munch. Sempre oportuno quando se fala de gente doida. No caso, eu!)

 

Hoje tenho vontade de contar algo sobre mim. Preparados para uma descoberta chocante? Para começar a semana em grande? Sim? 

 

Não, não vou chocar. Sou uma pessoa comum. A minha cabeça é que é um bocado complicada. Povoam-na demónios, monstros, fantasmas, medos, e sonhos. "Tenho em mim todos os sonhos do mundo", tal como o heterónimo de um dos meus poetas de eleição, também ele dono de uma mente extremamente complexa.

 

Alto lá! Que heresia esta comparação! Afinal, estamos a falar de alguém que deixou uma obra brilhante, enquanto os bichos que me povoam a mim só servem mesmo para atrapalhar a minha vida. Desculpem lá o abuso. Não se volta a repetir!

 

Então voltemos a mim, o eu de certa forma caricatural e exagerado. (Não entendam sempre de forma literal aquilo que eu "digo". Gosto de exagerar quando falo de mim. Possivelmente, nem estarei a falar de mim, mas da raça humana em geral, da sua condição mental fragilizada, doente, fruto dos tempos em que vivemos...)

 

Sempre tive fases na vida, sempre alternei períodos de energia e felicidade exacerbadas com tempos felizmente mais curtos de uma melancolia e apatia desoladoras. Como toda a gente, se calhar. Mas tenho a impressão de que comigo estes extremos são mais vincados. Muitas vezes penso para comigo que  devo ter uma condição mental única e que poderia bem ser um case study para garantir a uma qualquer tese de um estudante de psiquiatria uma nota exemplar.

 

Cá vai, sem mais porquês!

 

Reúno em mim, embora ténues, tonalidades de quase todos os transtornos mentais mais comuns e afins. Sim, leram bem! Fases há em que vou alternando, com o estado dominante de lucidez e sanidade mental, um bocadinho de tudo isto:

 

Doença bipolar,

Transtorno obsessivo-compulsivo,

Transtorno de personalidade borderline,

Transtornos fóbicos,

Depressão, 

Perturbação de ansiedade,

Stress,

Síndrome de burnout laboral.   

 

Sorte minha ser num grau que não chega à linha do que define uma condição psiquiátrica clínica... Ou azar meu, que nunca me permito extravasar. Extravasar, por vezes, é bom. Alivia... 

 

Ah, é verdade! Também já sofri de anorexia na adolescência, numa época em que ainda não se lhe dava esse nome. Excluo da lista, para já, alzheimer e demência, psicopatia e sociopatia, e ainda esquizofrenia. O que, se pensarmos bem, poderá ser uma desvantagem para quem se arroga de querer escrever qualquer coisa, ainda que na desportiva. Eu explico! Provavelmente é por não ter vestígios daquele último transtorno, que nunca serei um génio da escrita, nem lá perto. Se calhar é por isso que não consigo reproduzir pensamentos como estes e outros, com frases (só aparentemente) simples:  

 

"Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada.

À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo".

 

Mas confesso que gostaria de ter conseguido... Quem me dera conseguir... 

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Maria Mocha 24.10.2016

    O bom de desbobinar por aqui estas "doideiras", é que aparece sempre alguma alma generosa que se identifica com o que dizemos e, assim, nós não nos sentimos tão deslocados. Obrigada, amigo! "Tamo junto"!
    Agora mais a sério. Acabas o teu comentário com uma verdade muito importante. É que viver assim, sempre no limite, levando sempre tudo muito a sério, faz mal principalmente a nós próprios. Sinto isso.
    Beijinhos, Carlos. Vamo-nos aguentando, né?
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    DIREITOS DE AUTOR (Decreto-Lei n.º 63/85 com as posteriores alterações)

    Maria Mocha é o pseudónimo de uma mulher que, de vez em quando, gosta de deixar os pensamentos fluir pela escrita, uma escrita despretensiosa, mas plena dos sentimentos e emoções com que enfrenta a vida. Assim, as criações intelectuais da Maria Mocha publicadas (textos, fotos) têm direitos de autor que a mesma quer ver respeitados e protegidos. Eventuais créditos de textos ou fotos de outros autores serão mencionados. Aos leitores da Maria Mocha um apelo: leiam, reflitam sobre o que leram, comentem, mas não utilizem indevidamente conteúdos deste blog sem autorização prévia da autora. Obrigada.

    Calendário

    Outubro 2016

    D S T Q Q S S
    1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Em destaque no SAPO Blogs
    pub